Tabagismo

Tabagismo: Conheça os riscos e características do hábito

Esse vídeo sobre tabagismo fala um pouco sobre esse assunto que tem grande influência na saúde da sociedade.

Fumantes ou não fumantes, todos somos influenciados pelos químicos presentes no cigarro.

Veja a opinião de pessoas da área de saúde e alguns casos relacionados ao tratamento desse vício.

Pra mais informações, veja esse verbete sobre o tema na Wikipédia.

O tabagismo se caracteriza pelo hábito ou vício por fumar. Entretanto, grande parte das pessoas é afetada pelos malefícios do cigarro mesmo sem ser fumante.

O cigarro contém uma série de substâncias químicas e que, ao entrarem em contato com o organismo, podem causar uma série de problemas.

Confira abaixo alguns dos riscos consequentes do tabagismo: 

 

O tabagismo quase sempre começa da mesma maneira. Adolescentes ou adultos que, por influência de conhecidos, curiosidade ou outros motivos, experimentam o cigarro pela primeira vez.

Após o primeiro, vem o segundo, juntamente à aquela famosa dúvida de “ainda não sei se gostei ou detestei”. Assim que se percebe, já está comprando  pelo menos um maço por dia.

O cigarro demora um tempo até começar a levar à sintomas, como dor no peito, cansaço, falta de ar, dentre outros. Dessa forma, um fumante sempre tenderá a achar que está tudo bem, até o momento em que não estiver mais.

Danos causados pelo cigarro:

As toxinas presentes no cigarro podem levar à obstrução das artérias. Ou seja, o fluxo sanguíneo terá maior dificuldade em circular corretamente pelo organismo, devido aos bloqueios na passagem. Esse “bloqueio” pode levar a sérios danos, como derrame cerebral ou infartos.

Os principais males que o hábito de fumar pode trazer, assim como aqueles mencionados no vídeo acima, são:

  • Elevação dos índices de LDL, conhecido como colesterol ruim;
  • Aumento do ritmo cardíaco;
  • Derrame cerebral;
  • Infarto agudo do miocárdio;
  • Angina;
  • Menopausa precoce;
  • Gastrite e úlceras gástricas;
  • Enfisema pulmonar;
  • Bronquite crônica;
  • Doença obstrutiva arterial periférica;
  • Tromboangeíte obliterante;
  • Obstrução gradual das artérias;
  • Irritações nasais, na garganta, nos olhos;
  • Tontura e dor de cabeça;
  • Aterosclerose.

Além dos danos listados acima, também podemos falar do câncer.

Tabagismo e o câncer:

O câncer de pulmão é o tipo da doença que mais mata no mundo, com aproximadamente 1,3 milhão de óbitos.

Segundo estimativas, cerca de 85% dos casos de câncer de pulmão se associam ao tabagismo. Fumantes possuem 40 vezes mais chances de ter o câncer do que pessoas que não fumam.

Além do pulmão, outros órgãos podem vir a sofrer com os efeitos do tabagismo, como estômago, esôfago e coração.

Tabagismo passivo:

O tabagismo passivo se caracteriza pela inalação da fumaça do cigarro por pessoas não fumantes. Estes indivíduos podem ser familiares de fumantes, que convivem em um mesmo ambiente, entrando em contato com as toxinas.

Segundo informações do site Instituto Nacional de Câncer, a fumaça que sai da ponta do cigarro e se difunde homogeneamente no ambiente, contendo em média três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono e até 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que o fumante inala.

A exposição involuntária à fumaça do tabaco pode acarretar desde reações alérgicas (rinite, tosse, conjuntivite, exacerbação de asma) em curto período, até infarto agudo do miocárdio, câncer do pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica) em adultos expostos por longos períodos. Em crianças, aumenta o número de infecções respiratórias.

Não existem níveis seguros para a exposição da fumaça. Dessa forma, é importante que o fumante tenha conhecimento dos males que fumar em locais fechados podem causar.

Mais informações

Se você deseja saber como parar com esse vício, nossa homepage fala mais sobre como deixar de fumar.